Última hora

Última hora

Chama olímpica mergulha acesa no maior lago do Mundo

Em leitura:

Chama olímpica mergulha acesa no maior lago do Mundo

Tamanho do texto Aa Aa

Um passo aparentemente fácil para o homem, um salto surreal – mais um – para a tocha olímpica. Desta vez, aliás, um mergulho. A caminho dos Jogos de Inverno de Sochi, que começam a 7 de fevereiro, a chama olímpica está a realizar a mais longa viagem de sempre e este sábado fez escala no maior lago de água doce do mundo, o Baikal, na Sibéria, que tem mais de 1600 metros de profundidade e cuja longitude (636 km) é próxima à distância por estrada entre Lisboa e Madrid.

Um mês depois de ter passado pelo Polo Norte e duas semanas após ter “passeado” pela Estação Espacial Internacional, em órbita a cerca de 400 km da Terra, a tocha olímpica fez agora um mergulho de quase 20 metros de profundidade e, qual estafeta, foi passada entre mergulhadores.

A chama manteve-se acesa durante todo o mergulho graças a um combustível especial que arde dentro de água a cerca de 2000 graus centigrados. As imagens do mergulho são espetaculares (ver vídeo).

Depois do passeio submarino por aquele que é também apontado como o mais velho lago de agua doce do Mundo – terá pelo menos 25 milhões de anos -, a chama foi passada para um “homem pássaro”, que, equipado com um fato especial para voar sobre a água, transportou a tocha acesa para terra firme.

Segue-se, para a chama olímpica, a região do Cáucaso, onde está previsto a tocha subir o monte Elbrus, cujo pico mais alto está quase 6 mil metros acima do nível do mar.

A viagem da tocha olímpica arrancou a 7 de outubro, na Praça Vermelha, em Moscovo, e logo aí teve um pequeno percalço ao apagar-se acidentalmente e ter sido reacendida pelo isqueiro de um anónimo que estava no local. Ao todo, são mais de 55 mil km de um percurso que prevê a passagem por todas as 83 regiões que compõem a Rússia.