Última hora

Última hora

França: começa debate de polémico projeto de lei sobre prostituição

Em leitura:

França: começa debate de polémico projeto de lei sobre prostituição

França: começa debate de polémico projeto de lei sobre prostituição
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento francês viu convergir, esta sexta-feira, opositores e defensores do projeto de lei que penaliza os clientes de prostitutas e que começou a ser debatido na Assembleia.

As manifestações estiveram rodeadas de um importante dispositivo policial.

O texto apresentado pela maioria socialista, que provoca profundas divisões tanto na opinião pública como no seio dos partidos, poderá ser adoptado até ao próximo dia 4 de Dezembro.

A deputada da oposição conservadora Nicole Ameline, que é a favor da nova lei, diz que “é preciso lutar contra as redes [de prostituição] e responsabilizar as pessoas. O objetivo desta lei é esse, porque não é normal comprar o corpo de uma mulher”.

No entanto, no exterior do Parlamento, 150 prostitutas e outros opositores da proposta de lei sublinhavam que o texto não vai melhorar as condições de trabalho nem combater as redes de prostituição.

Uma argentina presente na manifestação diz que “a única solução será ir trabalhar para outro país”.

Thierry, que admite recorrer à prostituição, afirma que “é um mal necessário. É uma válvula de escape que pode evitar violações, assassinatos, agressões sexuais e mesmo divórcios. Também há uma parte da população que não teria vida sexual, sem as prostitutas”.

Do outro lado do Parlamento, várias dezenas de manifestantes de movimentos feministas e de ajuda às prostitutas mostravam o apoio a projeto de lei.

O texto estipula que quem recorre ao serviço de trabalhadoras do sexo poderá ser punido com multas entre 1500 e 3750 euros.