Última hora

Última hora

Tailândia: Manifestantes ocuparam pacificamente o quartel-general do exército

Em leitura:

Tailândia: Manifestantes ocuparam pacificamente o quartel-general do exército

Tamanho do texto Aa Aa

Ao sexto dia de protestos contra o governo de Banguecoque, os manifestantes voltaram a testar a paciência das autoridades, invadiram pacificamente o quartel-general do exército tailandês e desafiaram os militares a declarar o seu apoio aos que querem derrubar o governo de Yingluck Shinawatra, irmã do exilado ex-primeiro ministro, Thaksin Shinawatra.

Após algumas horas nos jardins da sede do exército, os manifestantes dispersaram sem que se tenha registado qualquer incidente.

A contestação saiu à rua depois de o governo ter aprovado uma lei de amnistia que, segundo os críticos, abria a porta ao regresso do ex-chefe de governo, sem que tivesse de cumprir a pena de prisão a que foi condenado. A lei foi rejeitada pelo Senado.

No domingo, cerca de 100 mil pessoas, na maioria da classe média urbana, manifestaram-se em Banguecoque, mas a mobilização perdeu força ao longo da semana.

Esta quinta-feira, o governo sobreviveu a uma moção de censura. A chefe do executivo tem apelado à calma e deu ordem às forças de segurança para não intervirem. Um apelo que até agora tem sido respeitado.