Última hora

Última hora

Líderes europeus ouviram um "não" de Ianukovych

Em leitura:

Líderes europeus ouviram um "não" de Ianukovych

Tamanho do texto Aa Aa

Em Vílnius, os líderes europeus não conseguiram persuadir o presidente da Ucrânia a assinar um acordo político e comercial entre o país e a União Europeia.

Os argumentos de Bruxelas não demoveram Viktor Ianukovych da posição inicial.

Contudo, Catherine Ashton, a responsável pela política externa da União Europeia disse que o estabelecimento do acordo continua em aberto.

“Queremos ter uma relação forte com a Ucrânia, particularmente em termos económicos. Há muito a fazer em prol da Ucrânia e da União Europeia. Obviamente que compete à Ucrânia decidir o que pretende fazer. Tivemos boas e importantes conversações com o presidente Ianukovych. Eu diria que a porta da União Europeia continua aberta”, disse Catherine Ashton.

Ao contrário da Ucrânia, a Geórgia e Moldávia assinam esta sexta-feira acordos de associação com a União Europeia, ficando o acordo definitivo agendado para o próximo outono.

“Creio que o povo ucraniano está desapontado. Não é só a Europa. Penso que a opção dos líderes ucranianos não leva a lado nenhum”, afirmou a presidente lituana Dalia Grybauskaite.

Bruxelas mantém, contudo, que a decisão de Kiev se deve a pressões da Rússia que advertiu que poderia tomar medidas protecionistas para impedir o acesso de produtos ucranianos ao seu mercado.

“Muito em breve o presidente Ianukovych terá de encontrar soluções para a economia do seu país, atingida pela recessão. À sua frente está o pagamento uma imensa dívida. Se não o fizer, o país outrora cesto do pão da região, poderá vir a tornar-se um caso económico muito negativo“reportou James Franey, da Euronews, em Vílnius.

Está em Kiev? Envie comentários, fotos e vídeos para: witness[at]euronews.com