Última hora

Última hora

Zona euro: Desemprego recua pela primeira vez em quase três anos

Em leitura:

Zona euro: Desemprego recua pela primeira vez em quase três anos

Tamanho do texto Aa Aa

Em outubro, o desemprego na zona euro recuou pela primeira vez desde fevereiro de 2011. A queda surpreendeu, já que os economistas esperavam que a taxa se mantivesse inalterada.

Entre setembro e outubro, a zona euro registou menos 61 mil pessoas sem trabalho. Mas a União Monetária têm ainda quase 19,6 milhões de desempregados, o que corresponde a uma taxa de 12,1%, uma décima menos do que em setembro.

A subir continua o desemprego dos jovens com menos de 24 anos. Em outubro, atingiu o recorde de 24,4%. A zona euro tem quase 3,6 milhões de jovens sem trabalho, acentuando a pressão sobre os dirigentes europeus.

As disparidades são evidentes.

A Alemanha tem a taxa de desemprego juvenil mais baixa (7,8%), enquanto, na Grécia atingiu os 58%, em agosto, e em Espanha supera os 57%.

Em Portugal, o desemprego juvenil subiu para os 36,5%, enquanto a taxa geral recuou pelo oitavo mês consecutivo para 15,7%.

Junto com o desemprego, o Eurostat revelou que a inflação subiu em novembro. Com o aumento dos preços da alimentação, a inflação subiu 0,9%, em termos anuais.

Mas não acalma os receios quanto aos riscos de deflação na zona euro, que levaram o Banco Central Europeu a cortar a taxa de juro para um mínimo histórico no início do mês. A instituição visa uma taxa de inflação de 2%.