Última hora

Última hora

Ucrânia: Repórteres espancados pela polícia

Em leitura:

Ucrânia: Repórteres espancados pela polícia

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de uma centena de pessoas deram entrada em centros clínicos depois de confrontos com a polícia de choque, nas imediações do edifício presidencial em Kiev, na Ucrânia.

Há o registo de vários profissionais da comunicação social espancados pelas forças da ordem.

Numa visita da Euronews a um dos centros clínicos, encontrámos o fotojornalista Anatoly Stepanov, que nos contou o que aconteceu para ter ficado a sangrar da cabeça e com um dedo partido. “Uma multidão de polícias passou por cima de mim e depois começaram a espancar-me, deram-me bastonadas e pontapés. Depois de se terem ido embora, alguns polícias vieram e arrastaram-me para dar os primeiros socorros. Lá, vi alguns polícias feridos”, conta.

Um repórter de imagem da Euronews foi também espancado quando trabalhava. Roman Kupriyanov relata o que lhe aconteceu. “Ao principio obrigaram-me a deitar. Ao mesmo tempo que continuava a filmar, três deles vieram e começaram a pontapear-me e a bater com os bastões. Eles sabiam bem o que estavam a fazer. Houve um tipo que tentou intervir, mas ainda foi mais espancado do que eu. Ele tentou salvar-me, gritava que éramos da imprensa, mas de nada serviu. Eu tinha um cartão de imprensa ao pescoço, mas… não sei… não quiseram saber”, afirma Roman.

Está em Kiev? Envie comentários, fotos e vídeos a testemunhar para: witness[at]euronews.com