Última hora

Última hora

Ucrânia: repressão policial violenta em Kiev

Em leitura:

Ucrânia: repressão policial violenta em Kiev

Tamanho do texto Aa Aa

Inúmeros dias de protesto na Ucrânia fizeram entrar em erupção a violência entre a polícia de choque e manifestantes desagradados com o presidente e o governo, por terem voltado costas à União Europeia e dado preferência a uma parceria com a Rússia.

Kiev voltou a ser palco de batalha depois de centenas de milhares de pessoas se reunirem na capital ucraniana para mostrar o seu desagrado.

Os confrontos começaram junto ao edifício de administração da presidência. Vitali Klychko, líder da oposição, explicou que “a polícia de choque está a fazer tudo para provocar as pessoas. Tudo é planeado, há pessoas a darem instruções para provocarem de forma a legitimarem a intervenção de forças especiais da polícia. O presidente é que deve ser responsabilizado por tudo o que se está a passar no país. Por tudo isso, o governo deve demitir-se, eles não representam o povo”, declarou.

A última vez que a Ucrânia sentiu protestos desta envergadura foi em 2005, durante a revolução laranja que derrubou o governo de então.

Nas ruas há quem fale de uma nova revolução, como explica a correspondente da Euronews em Kiev, Maria Korenyuk: “os acontecimentos deste domingo em Kiev são já apelidados de revolução. A oposição apela a todos os ucranianos para ocuparem a praça de independência com tendas pois, na segunda-feira de manhã, planeia bloquear totalmente o trabalho do governo”.

Está em Kiev? Envie comentários, fotos e vídeos a testemunhar para: witness[at]euronews.com