Última hora

Última hora

Dinamarca: o menos corrupto do mundo; Grécia, o mais corrupto da UE

Em leitura:

Dinamarca: o menos corrupto do mundo; Grécia, o mais corrupto da UE

Tamanho do texto Aa Aa

A Dinamarca é visto como o país menos corrupto do mundo. Isto, segundo a classificação da Transparency International.

O índice é estabelecido pela ONG a partir de dados recolhidos por 13 instituições internacionais, que vão do Fórum Económico Mundial aos bancos asiático e africano de desenvolvimento, passando pelo Banco Mundial.

“Dois terços dos 177 países analisados estão abaixo dos 50 pontos, ou seja, estão abaixo da mediana. Nesses países, nesses 2/3 de 177 países, a corrupção continua a ser vista como crítica”, explica Edda Muller, a presidente da Transparency International.

A escala situa-se entre 0, para um país considerado “altamente corrupto” e 100 para um “muito virtuoso”.

No fundo do índice agora divulgado, com apenas 8 pontos em 100 possíveis, estão ex-aequo, Somália, Afeganistão e Coreia do Norte.

Em 80.° lugar e com 40 pontos, surge a Grécia, que se mantém o país da União Europeia visto como o mais corrupto.

Portugal surge em 33.° lugar da tabela, com 62 pontos – menos um do que o ano passado.

A Espanha perdeu dez lugares, e situa-se em 40.°, após uma série de escândalos que envolveram a família real e o partido popular, no poder.

A corrupção continua, pois, a impedir o desenvolvimento de muitas sociedades. Segundo a Transparency Internacional, o mundo precisa de pôr fim ao branqueamento de capitais, sanear o financiamento dos partidos políticos, continuar a política de devolução de bens roubados e construir instituições públicas mais transparentes.