Última hora

Última hora

Mundial 2014: As seleções africanas

Em leitura:

Mundial 2014: As seleções africanas

Tamanho do texto Aa Aa

Mesmo se nunca uma equipa africana se sagrou campeã do mundo de futebol, as seleções de África têm vindo a ter uma presença cada vez maior.

Em 2010, o Gana só não foi às meias-finais por causa de uma bola defendida com a mão e um penálti falhado, no último minuto do prolongamento do jogo contra o Uruguai.

Este ano, no Brasil, Essien e os companheiros voltam a estar na fase final e prometem vingança.

A Costa do Marfim volta a marcar presença. A equipa repousa muito no talento de Didier Drogba, talvez a maior estrela do futebol africano atual, mas também de uma estrela ascendente, Yaya Touré.

Drogba tem 35 anos e deve atingir as 100 internacionalizações neste mundial. O envelhecimento da equipa é o principal problema da seleção marfinense.

Os Camarões, ao chegarem ao Brasil, tornam-se na equipa africana com mais presenças em campeonatos do mundo.

O sucesso da campanha de qualificação acabou por compensar quatro anos de más exibições e quezílias no seio da equipa, com o capitão Samuel Eto’o no centro da polémica.

A Nigéria, uma das seleções mais jovens de África, vai tentar chegar à fase de eliminatórias pela primeira vez em 16 anos.

A equipa dirigida por Stephen Keshi já provou que é capaz de ir longe, com a conquista da Taça das Nações Africanas no início deste ano.

A Nigéria vai à fase final do mundial pela quinta vez. Victor Moses, do Chelsea, é o jogador-chave da equipa.

Finalmente, a Argélia é a única equipa do Magrebe presente no Mundial. Os argelinos vão à fase final pela segunda vez consecutiva, depois da presença na África do Sul em 2010, e têm-se afirmado como maior potência do futebol nesta zona do globo.

Sofiane Feghouli, do Valência, é a maior estrela da equipa.