Última hora

Última hora

Mundial 2014: Ásia e Oceania

Em leitura:

Mundial 2014: Ásia e Oceania

Tamanho do texto Aa Aa

No Mundial, as seleções da Europa e América Latina arrastam paixões, as equipas africanas começam a despontar, já as seleções da Ásia e Oceania continuam a fazer figura de parentes pobres.

O Japão chega ao Brasil com o título de campeão asiático. Foi a primeira seleção a conseguir o apuramento para o mundial. Apesar disso, uma derrota nas qualificações contra a Jordânia, mais uma série de derrotas nos amigáveis de preparação ensombraram a equipa comandada pelo italiano Alberto Zaccheroni.

A Coreia do Sul chega pela oitava vez consecutiva à fase final de um campeonato do mundo, mas a campanha de qualificação não correu bem e terminou com o despedimento do treinador.

O novo técnico, Hong Myung-bo, ganhou apenas um dos primeiros sete jogos em que comandou a equipa, mas a vitórias sobre o Mali e a Suíça apagaram a má imagem.

A Coreia acabou por ficar no segundo lugar do grupo, na fase preliminar. A surpresa foi o Irão.

A seleção comandada pelo português Carlos Queiroz fez uma série de boas exibições, coroadas com uma vitória na Coreia do Sul.

Reza Ghoochannejhad marcou em todos os jogos e é a grande estrela da equipa.

A Austrália, única seleção da Oceania presente no mundial, chegao ao Brasil depois de uma chicotada psicológica que viu o alemão Holger Osieck ser substiuído por um homem da casa, Ange Postecoglou. As derrotas por 6-0 contra a França e contra o Brasil foram decisivas para a mudança de técnico.

O veterano Tim Cahill, antiga estrela do Everton, agora nos New York Red Bulls, é o homem-golo e jogador-chave dos australianos.