Última hora

Última hora

Ucrânia: Manifestantes "juntos até ao fim"

Em leitura:

Ucrânia: Manifestantes "juntos até ao fim"

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de ucranianos continuam a protestar para derrubar o Governo e a Presidência. Os manifestantes concentraram-se novamente nos locais emblemáticos do centro de Kiev, no dia em que o Parlamento chumbou a moção de censura ao Executivo apresentada por três líderes da oposição. Uma luta que o antigo campeão mundial de boxe, Vitali Klitschko, quer liderar. O mote é “Juntos até ao fim”.

Um manifestante diz esperar “que tudo acabe depressa com uma vitória” mas admite que não vai ser fácil. Ainda assim, avisa que os manifestantes estão “prontos para continuar até vencerem.”

Outra manifestante confessa não acreditar que o presidente aceite o que o povo pede, chamando-o de “cobarde”. Diz, ainda, que “se Yanukovitch fosse um presidente normal seria corajoso o suficiente para se mostrar e pedir desculpa aos jovens que foram espancados pelas forças policiais.”

Apesar da contestação, o presidente ausentou-se do país e encontra-se em visita oficial à China. Ainda assim, a multidão marchou até ao palácio presidencial sem que tenham sido registados incidentes com a polícia. Horas antes, o primeiro-ministro, Mykola Azarov, pediu desculpa pela violência policial do fim de semana. Um dia antes tinha falado em “golpe de estado” e “protestos incontroláveis”.

A correspondente da euronews em Kiev, Maria Korenyuk, comenta: “Entre os milhares de manifestantes que vieram até ao palácio presidencial, apenas alguns acreditam que o presidente Viktor Yanukovich aceite as exigências e force o Executivo a resignar. Entretanto, o primeiro-ministro já disse que está pronto para fazer algumas mudanças no Governo, mas não disse quais”.