Última hora

Última hora

ADN humano com 400 mil anos reconstituído a partir de um osso

Em leitura:

ADN humano com 400 mil anos reconstituído a partir de um osso

Tamanho do texto Aa Aa

O ADN de um homem primitivo com cerca de 400 mil anos foi reconstituído a partir de um osso encontrado numa gruta espanhola. Até agora, o mais antigo genoma humano sequenciado tinha entre 70 e 80 mil anos e pertencia a um membro de um grupo de hominídeos chamados os “Homens de Denisova”, parentes próximos do Neandertal e do Homem moderno. O genoma revelado corresponde ao de um fémur encontrado em Atapuerca, no norte de Espanha.

Esta descoberta “permite conhecer melhor como se produziu a evolução dos Neandertais, a da nossa própria espécie, e que relações houve entre espécies e linhagens evolutivas, há cerca de meio milhão de anos” – explica Juan Luis Arsuaga, diretor científico do Museu da Evolução Humana de Burgos.

A gruta “Sima de los Huesos”, em Atapuerca, é considerada a maior jazida de fósseis humanos do Pleistoceno Médio, com cerca de 500 mil a 120 mil anos. Além de ossadas de animais, foram descobertos na gruta pelo menos 28 esqueletos completos de hominídeos, ainda que os seus ossos se encontrem muito fragmentados, dispersos e misturados. O resultado deste estudo foi publicado na revista Nature.