Última hora

Última hora

Pai Natal redistribui prendas em Budapeste

Em leitura:

Pai Natal redistribui prendas em Budapeste

Tamanho do texto Aa Aa

A Hungria mantém há nove anos uma tradição muito particular no Natal. Desde 2004, no centro de Budapeste, surge em dezembro um género iglu gigante. Lá dentro o Pai Natal está a recolher donativos para que as crianças mais necessitadas possam ter uma quadra o mais feliz e normal possíveis.

Nesta tenda, as pessoas podem deixar alimentos e, sobretudo brinquedos, roupas, livros ou tudo aquilo de que já não precisem e a que gostariam de dar uma segunda vida nas mãos de quem mais precisa.

A Fábrica do Pai Natal abriu portas este sábado na Praça dos Heróis, na capital da Hungria, junto ao edifício da galeria de arte. É uma iniciativa solidária, à qual, “a cada ano, chegam cada vez mais donativos”, como nos conta a correspondente da euronews em Budapeste, Andrea Hajagos, revelando que “o objetivo fixado para este ano é ajudar 300 mil crianças em necessidade.”

Na Hungria, cerca de 25 por cento das crianças vive em situação de pobreza. Mas há cada vez mais as pessoas com vontade de as ajudar. Enquanto esteve no local, a nossa correspondente pôde ver um senhor a deixar roupas na Fábrica do Pai Natal.

Um rapaz de nove anos, o Ádám, deixou, por sua vez, um livro de que ja não precisava. “Eu quero que todas as crianças tenham prendas. Mesmo as que são pobres”, sublinhou o pequeno solidário.

Voluntária na Fábrica do Pai Natal, Mariann Szabó mostra-se muito satisfeita com o projeto. “Aqui, podemos conseguir uma ajuda muito mais efetiva através de todo este sistema porque eu jamais conseguiria ir pessoalmente à casa de cada um”, explicou-nos Mariann.

É o espírito natalício a tomar conta dos húngaros, numa quadra onde a partilha é o mais importante. Sobretudo quanto se fala de solidariedade com os mais necessitados.

Olhando, por fim, para esta iniciativa de um ponto de vista “inanimado”: em Budapeste, até os ursinhos de peluche saem a ganhar, ao “receber” a possibilidade de terem uma segunda vida de carinho nas mãos de um novo amigo.