Última hora

Última hora

Perigosos 'jogos de guerra' no Mar da China

Em leitura:

Perigosos 'jogos de guerra' no Mar da China

Tamanho do texto Aa Aa

Para já é só fumaça, mas a tensão não pára de subir na zona Oriental do Mar da China. Em resposta a idêntica ação por parte de Pequim, a Coreia do Sul anunciou que vai estender a sua zona de defesa aérea, que passará a incluir uma ilhota submersa, Ieodo (Rocha de Suyan para os chineses), onde Seul tem instalada uma plataforma de investigação científica e que a China considera como parte da sua Zona Económica Exclusiva.

Seul garante que as mudanças “não vão afetar a aviação civil”.

No passado dia 23 de novembro, a China anunciou, unilateralmente, a criação de uma nova zona de defesa aérea que abarca a ilhota submersa e as disputadas ilhas Senkaku (Diaoyu para Pequim), o que provocou um coro de protestos da parte de Seul, Tóquio e Washington, que enviaram caças e bombardeiros sobrevoar a região. Uma provocação a que Pequim não respondeu.

É a primeira vez que Seul altera a chamada zona de identificação de defesa aérea, desde que esta foi estabelecida, em 1951, pelos Estados Unidos, durante a guerra da Coreia.