Última hora

Última hora

A esperança aquece os manifestantes no frio de Kiev

Em leitura:

A esperança aquece os manifestantes no frio de Kiev

Tamanho do texto Aa Aa

O frio e a neve não chegam para desmobilizar os manifestantes pró-europeus que permanecem, determinados, na Praça da Independência, em Kiev. Centenas de ucranianos continuam acampados na capital, reclamando a partida do presidente Ianukovich, a quem acusam de vender o país à Rússia.

“Estamos à espera que o governo se demita. Vamos vencer, porque estamos aqui desde o primeiro dia e vamos ficar até ao fim. Creio que vamos ganhar. Queremos fazer parte da Europa e a Europa vai ajudar-nos”, afirma Volodymyr Shamrai.

A União Europeia está em todas as palavras de ordem, em todas as bandeiras e nos anseios de todos quantos se concentram na Praça da Independência. Há mesmo quem venha do estrangeiro para participar neste movimento que vai definir o futuro da Ucrânia.

“Eu não podia ficar na Suécia a olhar para o que está a acontecer ao meu país e ficar a ver como destroem o que é mais importante para mim”,explica uma emigrante ucraniana

A União Europeia faz sonhar muita gente, na Ucrânia e não só. A luta que decorre neste momento em Kiev é vista com apreensão nos países vizinhos, como explica um jovem bielorrusso: “Eu estou aqui para expressar a minha solidariedade com o povo ucraniano neste momento histórico porque não é só o futuro da Ucrânia que está em jogo, é o futuro de toda a Europa de Leste.”

Ninguém quer arredar pé. A luta continua até que as reivindicações da multidão sejam satisfeitas. No domingo, a multidão destruiu uma estátua de Lenine que permanecia em Kiev… Para recordar que a dependência de Moscovo terminou há duas décadas.