Última hora

Última hora

Tailândia: "Dia da batalha final"

Em leitura:

Tailândia: "Dia da batalha final"

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de mais de um mês de manifestações, a primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra anuncia a dissolução do Parlamento e eleições gerais para dentro de 60 dias, com o objetivo de atenuar os protestos antigovernamentais previstos para esta segunda-feira.

Pelo menos nove colunas de manifestantes devem partir de vários acampamentos espalhados por Banguecoque. O dia da “batalha final” contra a corrupção do “regime Thaksin”, segundo os manifestantes.

O Partido Democrata, que ontem decidiu abandonar em bloco os seus lugares no Parlamento, comentou que não aceita Yingluck até a realização das eleições.

A oposição não quer participar nas eleições sob o atual modelo, que denunciam estar viciado pela compra de votos, um cenário de que resultaria a sua derrota.

A principal reivindicação é invocar o artigo 7 da Constituição para que o rei da Tailândia, o octogenário Bhumibol Adulyadej, designe o próximo chefe do governo sem passar pelas urnas.

A Tailândia passa por uma grave crise política desde 2006 com frequentes manifestações e protestos populares que buscam paralisar o Governo.