Última hora

Última hora

Família e amigos de Mandela lembram "a árvore gigante que tombou"

Em leitura:

Família e amigos de Mandela lembram "a árvore gigante que tombou"

Tamanho do texto Aa Aa

Poucos homens na história teriam conseguido unir, no mesmo local, tantos líderes mundiais. Foi assim a cerimónia de homenagem a Nelson Mandela, no estádio Soccer City do Soweto, em Joanesburgo

Mais de 90 chefes de Estado e governo, além de muitos amigos, estiveram presentes para homenagear o pai da África do Sul pós-apartheid.

Andrew Mlangeni, antigo companheiro de prisão de Mandela, foi o primeiro a discursar: “Fomos condenados a prisão perpétua, que cumprimos em Robben Island. Na prisão, Madiba exerceu a liderança com base no pensamento coletivo. Trouxe esperança onde ela não existia. Fez com que o otimismo e a confiança nascessem da desconfiança e da tristeza. Madiba está a olhar para nós, certamente a sorrir, ao ver os queridos compatriotas unidos para celebrar a vida e o legado que deixou”.

A cerimónia juntou a viúva, Graça Machel, e a ex-mulher Winnie Mandela.

Mandela deixa um grande legado político, mas também uma família: 18 netos e 12 bisnetos. Três dos netos de Madiba lembraram o homem e o líder.

“A árvore gigante tombou, espalhando folhas brilhantes, com milhões de mensagens de paz, amor e reconciliação. Devemos seguir as pegadas dele”, disse Andile Mandela.

“Ensinaste-nos que um grupo de árvores consegue contrariar o vento, mas a árvore que se eleva acima de todas as outras acaba quebrada pelo vento. Filho do vento, da terra e dos sonhos de um futuro em que negros e brancos, ricos e pobres, homens, mulheres e crianças vivem lado a lado, sonhando o mesmo sonho”, palavras de Mbuso Mandela.

A neta Phumla concluiu: “Ficas guardado na nossa memória, pairas sobre o mundo como um comenta que deixa um rasto de luz para o seguirmos”.