Última hora

Última hora

Jornalistas espanhóis raptados na Síria

Em leitura:

Jornalistas espanhóis raptados na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Aumenta o número de jornalistas raptados na Síria.

Os espanhóis Javier Espinosa, correspondente do El Mundo, e o fotógrafo, Ricardo Vilanova, foram sequestrados em setembro, na província de Raqqa, pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante, um grupo com ligações à Al-Qaeda.

Cansados de esperar pela libertação que tarda, o jornal El Mundo e os familiares lançam, agora, um apelo aos sequestradores.

“O Javier e o Ricardo deslocaram-se dezenas de vezes à Síria para documentar os crimes de guerra, arriscando as próprias vidas, partilhando o medo sentido pelos sírios e a tristeza vivida com a crise humanitária. O Javier e o Ricardo não são os vossos inimigos. Peço, por isso, que honrem a revolução que eles protegeram e que os libertem”, afirma Monica García Prieto, jornalista e mulher de Javier Espinosa, correspondente do El Mundo.

Vários jornalistas foram raptados na Síria. Três são espanhóis.