Última hora

Última hora

O teatro-dança Kathakali na Índia

Em leitura:

O teatro-dança Kathakali na Índia

Tamanho do texto Aa Aa

Em Kerala, no sudoeste da Índia, a religião é parte integrante do quotidiano da população.

As paisagens serenas convidam à meditação, longe do burburinho da cidade.

Ao pôr do sol, os tambores convidam os devotos para o festival do templo. O evento dura a noite inteira, ao som de uma orquestra de 250 músicos, num templo decorado com mil lâmpadas.

O festival termina com uma representação de Kathakali, um estilo masculino de teatro-dança.

A forma atual do Kathakali terá sido fixada no final do século XVII mas o espetáculo inpira-se em rituais de há dois mil anos.

“O Kathakali é composto por gestos detalhados e movimentos faciais, percussão, música, máscaras pintadas , disfarces e maquilhagem. O que o torna particular é o facto de o ator nunca falar, faz apenas gestos com as mãos e vários movimentos corporais” , explica Shri Padmanabhan, artista de Kathakali.

A preparação para o Kathakali exige uma maquilhagem minuciosa, feita a partir de ervas e outros elementos naturais.

“Através da maquilhagem, as personagens dividem-se em cinco categorias: verde, faca, barba, negro e embelezamento. A cor dominante varia de acordo com a personalidade da personagem, segundo a tradição Kathakali”, acrescenta o artista.

Os atores preparam-se para incarnar o Ramáiana, um épico sânscrito. Hanuman, o deus macaco do hinduísmo, é uma das personagens da história.

“O meu pai era um artista kathakali muito conhecido. É algo que conheço desde a infância e sentia-me atraída por essa forma de arte. O meu pai viu-me a tentar dançar e ensinou-me o kathakali, tal como fazia com os outros estudantes, na altura eu tinha 5 anos”, conta Adv Ranjini K. P, uma artista de kathakali.

“O Kathakali é um espetáculo de grupo dominado pelos homens. Para ser reconhecida, uma mulher tem de trabalhar mais do que um artista homem. As atuações têm lugar em templos durante toda a noite. É preciso um treino físico rigoroso para atuar, senão, não é possível fazê-lo”, sublinha a artista.

“As instituições mais famosas em Kerala não ensinam as mulheres. Aprendemos em aulas privadas. Temos de dar provas para sermos reconhecidas, é o que se passa com as artistas femininas do Kathakali”, conclui Adv Ranjini K. P.

Hoje em dia, os turistas podem assistir a espetáculos de Kathakali de uma hora mas só as longas atuações noturnas incarnam o espírito autêntico deste ritual do sudoeste da Índia.

Mais sobre le mag