Última hora

Última hora

República Centro Africana: François Hollande foi encorajar soldados franceses

Em leitura:

República Centro Africana: François Hollande foi encorajar soldados franceses

Tamanho do texto Aa Aa

Em África, para as cerimónias de homenagem a Nelson Mandela, o presidente francês, François Hollande, deslocou-se de seguida à República Centro Africana onde foram mortos dois soldados franceses, na noite de segunda para terça-feira.

Abordado à chegada pelos jornalistas, Hollande mantém que, apesar destas duas baixas, “a missão é a mesma”. “É perigosa, sempre soubemos, mas é necessária se queremos evitar que se produza aqui uma carnificina”, afirmou.

O primeiro gesto do presidente francês em solo centro-africano foi a homenagem aos militares mortos durante uma troca de tiros com elementos das milícias que semeiam o caos no país há vários meses.

A situação no terreno está cada vez mais tensa. Os soldados tinham como primeira missão o desarmamento dos grupos rebeldes, mas os civis também já pegaram em armas, como relata este soldado da FOMAC, a força pan-africana que já está também no país:

“Estamos a tentar proteger as populações. – E estão a disparar contra vocês? – Sim, disparam contra nós… – Quem é que dispara? – Não sabemos quem é. Há aqui civis a disparar…

A violência e as pilhagens tomaram conta da capital, Bangui. São sobretudo jovens cristãos que investem contra as mesquitas e contra as lojas dos muçulmanos.

O país mergulhou numa espeiral de violência inter-religiosa desde a tomada do poder por uma coligação de grupos radicais muçulmanos.

A missão dos soldados estrangeiros na República Centro Africana é proteger as populações e garantir o acesso da ajuda humanitária.