Última hora

Última hora

Iushenko: "Maydan não pode continuar indefinidamente"

Em leitura:

Iushenko: "Maydan não pode continuar indefinidamente"

Tamanho do texto Aa Aa

O braço-de-ferro entre a oposição e o poder não parece ter fim. Numa tentativa de resolver o impasse, Vitor Ianukovich reuniu-se esta, terça-feira, com os três antigos presidentes do país – Leonid Kravchuk, Leonid Kuchma e Viktor Iushenko.

O atual chefe de Estado continua a falar de uma aproximação à Rússia: “Não concordo com a ideia de que tenhamos de sacrificar as relações com a Europa a favor das relações com a Rússia, ou vice-versa. Temos de encontrar uma forma de nos reunirmos. Penso que a Europa dormirá mais descansada e mais quentinha se a Ucrânia tiver boas relações com a Rússia e se não houver conflitos do género dos cortes de gás.”

Sergio Cantone, o correspondente da euronews, em Kiev, perguntou ao ex-presidente Viktor Iushenko que alternativas têm o poder para sair do impasse.

“Não penso que o poder vá usar a força. Penso que o poder, embora seja difícil, acabará para avançar para o diálogo. Neste momento é necessário vontade política; Maydan não pode continuar indefinidamente. Não podemos ter o mesmo poder forte e potente que tivemos no domingo passado”, defende Iushenko.

Para já, a oposição recusou sentar-se à mesa das negociações com Ianukovich e os ex-presidentes. O protesto continua, pois, nas ruas de Kiev.