Última hora

Última hora

Milionário russo abre museu dos ovos Fabergé

Em leitura:

Milionário russo abre museu dos ovos Fabergé

Tamanho do texto Aa Aa

Um milionário russo abriu um museu em São Petersburgo dedicado aos ovos Fabergé.

Considerados como obras-primas da joalharia e cobiçados por colecionadores do mundo inteiro, os ovos foram feitos para os czares da Rússia, entre 1885 a 1917.

A equipa dirigida por Peter Carl Fabergé, um russo de origem franco-dinamarquesa, fabrica os ovos a partir de metais e pedras preciosas.

O primeiro ovo foi fabricado em 1885 a pedido do czar Alexandre III, como um presente de Páscoa para esposa Maria Feodorovna.

O ovo de ouro tinha um gema no interior e dentro dela uma galinha com um rubi e uma réplica em diamante da coroa imperial.

Para o diretor do museu, o grande desafio foi encontrar os ovos. Muitos foram vendidos pelos bolcheviques para financiar a revolução, outros pelos familiares da família real.

“Foi um trabalho quotidiano nos últimos dozes anos. Adquirimos as obras em vários países do mundo. A coleção foi comprada fora da Rússia e até fora da antiga União Soviética, esse é uma das particularidades da coleção. Isso significa que as obras regressaram à Rússia e serão preservadas como parte da cultura russa, o que nos orgulha bastante”, afirmou o diretor do museu, Vladimir Voronchenko.

O museu financiado pelo magnata Viktor Vekselberg foi instalado no palácio Shuvalov e abriu as portas em Dezembro.
Além dos ovos, o milionário possui um espólio de quatro mil obras dos séculos XIX e XX.