Última hora

Última hora

Ucrânia: Carga policial alimentou manifestação antigovernamental

Em leitura:

Ucrânia: Carga policial alimentou manifestação antigovernamental

Tamanho do texto Aa Aa

A intervenção da polícia antimotim no dia 30 de novembro para tentar dispersar os manifestantes pró-europeus foi a razão principal que levou os ucranianos a participarem nos protestos maciços da Praça da Independência, é a conclusão dos sociólogos da Fundação das Iniciativas Democráticas que questionaram 1037.

Yulia Ilchuk, socióloga:

“Quando perguntámos por que razão participam na concentração, 70 por cento responderam estar furiosos com a dispersão da manifestação pacífica a favor da União Europeia no dia 30. 54 por cento das respostas apontavam igualmente a recusa do presidente Ianukovitch em assinar o acordo de associação com a UE. A terceira razão prende-se com a vontade de mudar a vida na Ucrânia.”

Finalmente, mais de um terço, reclama a libertação da ex-primeira-ministra, Iulia Timoshenko. O manifestante-tipo pró-europeu é um homem de 36 anos com educação superior. Mais de metade vive em Kiev.

Yulia Ilchuk, socióloga:

“73 por cento dos manifestantes afirmam que vão permanecer no local o tempo que for preciso até verem satisfeitas as suas reivindicações. Só nove por certo dizem ficar por ali um par de dias e três por cento vão permanecer até à noite de Ano Novo.”

Há também muitos ucranianos que pensam que o protesto não vai mudar nada. A única forma de afastar o presidente e o governo ou de assinar o acordo com a União Europeia é através do voto nas eleições de 2015.