Última hora

Última hora

Rússia e UE discutem Ucrânia em clima de grande tensão

Em leitura:

Rússia e UE discutem Ucrânia em clima de grande tensão

Tamanho do texto Aa Aa

A luta pela influência geopolítica na Ucrânia continua a ser um espinho nas relações entre a Rússia e União Europeia (UE), apesar das duas partes continuarem a cumprir o calendário diplomático e a suavizarem o discurso sobre o diferendo.

Na visita que fez esta segunda-feira a Bruxelas, o chefe da diplomacia russa, Sergey Lavrov, disse que “a pressão sobre os ucranianos para escolherem a via da Europa está a ser feita sugerindo que a Rússia não quer cooperar com a Europa e que quer que Ucrânia e outros países da Parceria de Leste sigam noutra direção. Mas não é isso que se passa de todo.”

Contudo, o almoço de trabalho de Lavrov com os homólogos dos 28 países da UE e a alta representante Catherine Ashton foi descrito como “horrivelmente gentil” por um dos ministros.

Mas Ashton também colocou água na fervura, dizendo que “não penso que as relações da Rússia e da UE estejam a piorar. A Rússia e a UE são parceiros estratégicos e temos de debater todos os temas que fazem parte dessa parceria, incluindo sobre como atuar com os países da vizinhança”.

A verdade é que a tensão sobre o problema da Ucrânia está a aumentar até no interior da própria UE.

O ministro dos Negócios Estrangeiros holandês, Frans Timmermans, criticou abertamente o comissário europeu do Alargamento, Stefan Fule por declarações, feitas no Twitter, dando conta de um congelamento das negociações sobre o acordo de associação.

Para os governantes da UE a porta continua aberta e o diálogo para convencer a Ucrânia deve prosseguir.