Última hora

Última hora

Greve na Amazon alemã

Em leitura:

Greve na Amazon alemã

Tamanho do texto Aa Aa

A uma semana do Natal, algumas centenas de empregados da Amazon na Alemanha entraram em greve, uma paralisação convocada pelo sindicato Ver.di, a maior estrutura sindical alemã.

Está em causa o contrato coletivo do setor da logística. De acordo com o sindicato, os trabalhadores da logística, que estão a receber 9 euros e 55 cêntimos por hora, deveriam ser pagos pelo contrato coletivo do comércio retalhista e de expedição, que prevê salários superiores. A par desta questão volta a falar-se do stress a que estão submetidos os empregados, que se queixam de lhes ser imposto um ritmo de trabalho demasiado intenso.

A greve envolve 1.800 trabalhadores nos armazéns da Amazon em Bad Hersfeld, Leipzig e Graben. Para já, os armazéns em Bad Hersfeld paralisam até quarta-feira, em Leipzig até sexta, e em Graben a greve termina esta terça-feira.

A Amazon garante que as entregas não serão afetadas pela greve, mas é inevitável o receio de que os consumidores cancelem encomendas de Natal, preocupados com um eventual incumprimento por parte da empresa, para além de que as dúvidas sobre padrões éticos podem igualmente traduzir-se em prejuízos nas vendas.

A Amazon emprega na Alemanha 23.000 trabalhadores. O país é o segundo maior mercado para a empresa, depois dos Estados Unidos.