Última hora

Última hora

FED anuncia redução do estímulo mas Bernanke deixa aviso

Em leitura:

FED anuncia redução do estímulo mas Bernanke deixa aviso

Tamanho do texto Aa Aa

A Reserva Federal americana (FED) anunciou esta quarta-feira que vai reduzir o estímulo mensal à economia em 10 mil milhões de dólares a partir de janeiro. O Comité de Operações no Mercado Aberto (FOMC, na sigla inglesa) entende que os Estados Unidos se encontram numa tendência de crescimento positiva e já não precisam de um investimento tão forte. Por isso, os membros do FOMC votaram a redução dos estímulos de 85 para 75 mil milhões de dólares.

A redução será repartida em duas tranches de cinco mil milhões de dólares: uma em Obrigações do Tesouro e outra em títulos hipotecários.

Este foi um dos últimos anúncios como presidente do FED realizado por Ben Bernanke, que, apesar dos bons sinais revelados, deixou um aviso. “As decisões desta quarta-feira refletem o entendimento do comité de que a economia continua a crescer mas também que esta viagem ainda é longa até termos uma situação normalizada.”

A pouco mais de um mês de ser substituído por Janet Yellen, a primeira mulher a presidir o FED, Ben Barnanke puxou dos galões e elogiou o trabalho que se prepara para deixar feito à frente do banco central norte-americano. “A Reserva Federal redescobriu as suas raízes. Na essência, o FED foi criado para estabilizar o sistema financeiro em tempos de pânico. Foi isso que fizemos”, congratulou-se o ainda presidente.

O anúncio da redução dos estímulos à economia, com base no crescimento previsto da economia americana, nomeadamente no que toca ao emprego e ao PIB, teve um efeito positivo em Wall Street. As ações dispararam e os indices Dow Jonese S&P Quinhentos fecharam a sessão desta quarta-feira com recordes absolutos de, respetivamente, 16,168.29 pontos e 4,070.064 pontos.