Última hora

Última hora

Estimular a criatividade

Em leitura:

Estimular a criatividade

Tamanho do texto Aa Aa

Dinamarca: educação em blocos de plástico

Muitas crianças crescem a brincar com Legos, mas será será que podem ser transformados num sistema educativo? Acreditando ou não, já existe uma escola assim na Dinamarca. A Escola Internacional de Billund, na Dinamarca tem apenas três meses e destaca-se pelo método de ensino. “Leg godt” significa “brincar bem” em dinamarquês, a filosofia na qual assenta a LEGO, um gigante dos brinquedos fundado em 1932. Os legos estão a ser transportados para a sala de aula. A fundação LEGO materializou a ideia das brincadeiras criativas nesta escola. Pensar fora da caixa é o lema da Escola Internacional de Billund, com um plano de estudos que assenta no desenvolvimento da criatividade.

Paquistão: corpo em movimento

No Paquistão, as atividades extracurriculares são raras e a violência é muito comum. Paul Collard dos Prémios WISE é um pioneiro na educação criativa. Vamos ver o que está a fazer para tentar melhorar a situação. As crianças paquistanesas não estão habituadas a aprender algo fora do programa escolar. A criatividade na escola era inexistente até Paul Collard chegar a Karachi com a missão de estimular a criatividade das crianças. Paul Collard tem 25 anos de experiência e é um especialista em programas que utilizam a criatividade e a cultura como factores de mudança social e económica.

Taiwan: arte nova

Crianças que vivem em zonas rurais remotas podem estar isoladas dos museus e galerias de arte. Mas se não podem ir aos museus, que tal trazer os museus até ás crianças? Pinturas de Picasso diretamente para a escola. Em parceria com os principais museus de Taiwan e do estrangeiro, a fundação Quanta Cultura e Educação criou a exposição itinerante “Imersão na Criatividade”, um projeto para alunos do ensino básico e secundário. A ideia é simples: fazer exposições em aldeias remotas e em escolas isoladas recorrendo às réplicas.