Última hora

Última hora

Sudão do Sul à beira de uma guerra civil

Em leitura:

Sudão do Sul à beira de uma guerra civil

Tamanho do texto Aa Aa

Mediadores africanos, das Nações Unidas e um enviado especial dos Estados Unidos tentam evitar a todo o custo um conflito interétnico no Sudão do Sul.

A ONU condenou o ataque a uma base da organização, na quinta-feira, que vitimou dois capacetes azuis indianos, quando uma importante força da etnia Nuer disparou alegadamente contra uma multidão da etnia Dinka num recinto das Nações Unidas.

O embaixador francês para a ONU, atual presidente do conselho de segurança, explicou “existir uma crise política na liderança do Movimento de Libertação Popular do Sudão, uma crise política e um barril de pólvora que é a questão étnica. A crise política pode desencadear uma guerra civil se não resolvermos rapidamente a crise política através do diálogo”, sublinhou.

A comunidade internacional quer evitar um conflito semelhante aos últimos que aconteceram no Ruanda e no Uganda.

Muitos países já começaram a retirar os respetivos cidadãos.

A ONU teme novos ataques às suas bases onde se encontram dezenas de milhares de deslocados.

A violência na última semana terá provocado 500 mortos.

Os confrontos começaram quando o presidente Salva Kiir, de etnia Dinka, acusou de tentativa de golpe de Estado o seu antigo vice-presidente, Riek Machar, um Nuer.