Última hora

Em leitura:

Reserva Federal americana celebra centenário em crise


economia

Reserva Federal americana celebra centenário em crise

Foi criada a dois dias do Natal, em 1913. Está a celebrar 100 anos e é actualmente uma das estrelas do jogo económico que faz mexer o dinheiro por todo o planeta.

Conhecida como FED (sigla inglesa), a Reserva Federal Americana, tal como a águia representada nas paredes do seu edifício simboliza, tinha por objectivo ser perspicaz e corajosa na tomada decisões sobre os problemas financeiros nos Estados Unidos. A lei que proclamou este género de banco central americano foi assinada pelo então presidente americano Woodrow Wilson.

Destinado a evitar problemas na banca e no sistema financeiro americano, o primeiro grande teste da FED foi a Grande Depressão, que começou exactamente na bolsa dos Estados Unidos em 1929 e propagou-se pelo planeta.

Quase 80 anos depois, a bolsa americana voltou a estar no epicentro de uma crise económica que se alastrou e que a FED também não conseguiu prever. O presidente americano em exercício, Barack Obama, interveio. Ben Bernanke, o actual “chairman” da FED, reagiu e a Reserva Federal criou um programa de estímulos de incentivo à economia.

Desde 2008 que o investimento na dívida pública norte-americana vem crescendo. Em 2012, o ritmo mensal de compra de activos ficou-se nos 85 mil milhões de dólares. Valor que baixa agora 10 mil milhões de euros, no início de 2014, numa redução justificada pelas previsões positivas de crescimento para a economia americana.

No total, até dezembro deste ano, a FED já adquiriu quase 4 biliões de dólares de ativos americanos, o que representa 24 por cento do PIB dos Estados Unidos e é mesmo superior ao valor da economia alemã, a maior da Europa.

Ben Bernanke é o presidente do centenário, mas no final de janeiro cede a pasta a Janet Yellen, a primeira mulher a liderar a Reserva Federal Americana em 100 anos de história. E ela já avisou que este programa de estímulos à economia americana, que ela vai herdar ainda com um forte investimento de 75 mil milhões de euros por mês. E Janet já avisou: este programa de estímulos não pode durar para sempre.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

economia

Rússia: Libertação de Khodorkovsky não muda visão dos investidores