Última hora

Última hora

Rússia descarta envenamento de Arafat

Em leitura:

Rússia descarta envenamento de Arafat

Tamanho do texto Aa Aa

Yasser Arafat morreu de morte natural. Esta é a conclusão dos peritos russos que analisaram amostras dos restos mortais do líder palestiniano.

Arafat morreu em 2004. Na altura não foi feita nenhuma autópsia, a pedido da viúva. Mas, em julho de 2012, Suha Arafat apresentou uma queixa na justiça francesa depois da descoberta de níveis anormais de polónio nos objetos pessoais do marido. O cadáver de Arafat foi exumado nesse ano e cerca de 60 amostras foram distribuídas por três equipas de peritos: uma francesa, uma suíça e uma russa.

A equipa francesa também descartou a hipótese de envenenamento, mas na Suíça foram detetadas nas amostras níveis elevados de polónio 210, uma substância altamente radioativa. Apesar das conclusões dos peritos russos, as autoridades palestinianas não vão encerrar a investigação à morte de Arafat.

Arafat começou com sintomas de problemas gastrointestinais a 12 de outubro de 2004. Depois de uma série de complicações, foi transferido da Cisjordânia para um hospital militar de Paris, onde morreu a 11 de novembro.