Última hora

Última hora

Espanha: Presos da ETA admitem culpa pelos crimes cometidos

Em leitura:

Espanha: Presos da ETA admitem culpa pelos crimes cometidos

Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez os presos por participação em atividades terroristas da ETA, o grupo independentista do País Basco, admitem a culpa pelos crimes cometidos e assumem os danos causados pelos ataques efetuados.

O reconhecimento de culpa surgiu através de um comunicado publicado em vários meios de comunicação espanhóis com ligação estreita à ETA.

Fundado em 1951, no currículo do grupo separatista basco figuram inúmeros ataques que fizeram mais de 800 mortos. O maior atentado registado aconteceu a 19 de junho de 1987, num centro comercial em Barcelona: um carro-bomba matou 21 civis.

Há cerca de dois anos, a 21 de outubro de 2011, o braço armado da ETA anunciou o cessar-fogo e o fim de todas e quaisquer ações furtivas depois de mais de 50 anos de atividade.

Entretanto, por coincidência, este sábado, em Mondragon, no País Basco, realizou-se uma concentração de familiares de vítimas de terrorismo. O agora anunciado reconhecimento de culpa dos crimes cometidos, para a Associação espanhola de Vítimas de Terrorismo não é mais do que uma mera tentativa dos presos da ETA de verem reduzidas as penas que estão atualmente a cumprir.