Última hora

Última hora

Sudão do Sul: Oferta de cessar-fogo mantém-se mas Exército responderá em caso de recusa

Em leitura:

Sudão do Sul: Oferta de cessar-fogo mantém-se mas Exército responderá em caso de recusa

Tamanho do texto Aa Aa

De visita a um hospital militar na capital do Sudão do Sul, este sábado, o vice-presidente do país, James Wani Igga, testemunhou as consequências dos confrontos que eclodiram há cerca de duas semanas.

Isto depois de o chefe de Estado do país se mostrar preparado para um cessar-fogo propondo-se a libertar oito dos 11 políticos detidos, vistos como aliados do antigo vice-presidente Riek Machar.

“O Dr. Riek Machar pôs obstáculos a este apelo genuíno impondo pré-condições segundo as quais um cessar-fogo não será possível até que haja negociação”, disse James Wani.

O Governo anunciou que o Exército dará uma resposta contundente em caso de renúncia do fim das hostilidades.

Em duas semanas já se contabilizam mais de mil mortos. Os primeiros reforços da ONU chegaram entretanto ao país. As Nações Unidas estimam que cerca de 65 mil civis estão refugiados nas bases da organização no terreno.