Última hora

Última hora

Sochi: Segurança máxima a um mês dos Jogos Olímpicos de Inverno

Em leitura:

Sochi: Segurança máxima a um mês dos Jogos Olímpicos de Inverno

Tamanho do texto Aa Aa

A 31 dias da abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, a segurança, na Rússia, está mais apertada do que nunca.

Moscovo reforçou o dispositivo, sobretudo depois dos dois atentados à bomba que fizeram 34 mortos em Volgograd, a 29 e 30 de dezembro.

O acesso à aldeia olímpica é agora mais difícil e foi aplicado um novo plano de circulação. O acesso de carro a Sochi, cidade de 350 mil habitantes, só é permitido aos veículos que tenham uma autorização especial.

As medidas podem parecer excessivas, mas a população compreende.

“Depois do que se passou em Volgograd, é preciso”, diz uma habitante.
Um jovem reitera: “Talvez seja demasiado, nalguns sítios, mas não se pode ter Jogos Olímpicos sem segurança.”

Foram mobilizados 42.000 polícias e 10.000 agentes do Ministério do Interior. A isso somam-se os navios da marinha, prontos a eliminar qualquer ameaça proveniente do Mar Negro, e os sistemas de mísseis antiaéreos, que vigiam os céus.

Para os turistas, presentes em Sochi, a segurança é algo positivo: “Penso que é muito bom sentirmo-nos seguros onde estamos e esse é, de facto, o sentimento que temos aqui, em Sochi. Sentimo-nos bem, sentimo-nos seguros.”