Última hora

Última hora

Israel rendido a uma filipina

Em leitura:

Israel rendido a uma filipina

Tamanho do texto Aa Aa

Uma filipina de 47 anos, com a força de uma tempestade, tomou de assalto o Fator X, em Israel, tornando-se num fenómeno nacional.

Chama-se Rose Fostanes e chegou, há seis anos, a Tel Aviv, como trabalhadora indiferenciada, como milhões de outros filipinos

Apesar da sua baixa estatura, impôs-se de tal maneira que hoje é um enorme caso de popularidade.

Capturou o coração do público e onde quer que vá, toda a gente a reconhece.

“Ela tem uma voz incrível, é ótima”, diz um jovem.

Outra admiradora diz que “ela é única, não há ninguém como ela”.

Rose Fostanes tem pensado muito, no que lhe esta a acontecer:

“Às vezes, a falar sozinha, pergunto-me se é verdade o que está a acontecer comigo? Acho que não é muito tarde para mim. Pelo menos, posso expressar-me e posso mostrar às pessoas que também tenho talento e não é tarde demais, para eu brilhar”.

Fostanes disse que foi uma prestadora de cuidados domésticos, desde os 23 anos de idade, trabalhando no Egito e no Líbano, antes de vir para Israel. Está entre os cerca de 10 milhões de filipinos que trabalham no estrangeiro, enviando remessas em dinheiro, todos os meses, para as Filipinas.

Agora, é uma estrela, em Israel

Mais moda masculina, em Londres – tecidos decadentes e impressões artísticas, na coleção Burberry que recupera a sensação do dandy inglês.

E acrescenta-lhe um toque de feminilidade.

O designer-chefe, Christopher Bailey, disse que foi inspirado pelas obras de artistas britânicos, como Christopher Wood e Ben Nicholson.

Transpôs as suas pinturas, para sacos pintados à mão, revestimentos pintados à mão e bordados.

Os cenários das salas de guerra, em Londres, foram usados, em nome da moda, para a apresentação de Savile Row e St. James.

Grande parte dos modelos em desfile foi concebida, a partir de lã Merino, inspirada nos anos 40.

Num cenário usado durante a II Grande Guerra, os manequins pisaram o solo de onde partiram muitas ordens de Winston Churchill.

As estrelas canadianas do Circe do Soleil empolgaram as multidões que acorreram ao Royal Albert Hall, em Londres, onde a companhia celebrou os seus 30 anos.

O circo apresentou o espectáculo “Quidam”, que já percorreu os cinco continentes, desde a estreia, em 1996.

Foi visto por mais de 10 milhões de pessoas.

“Quidam” conta a história de uma jovem chamada Zoe, ignorada por pais distantes e apáticos.

Mas um dia, é surpreendida pelo circo, que lhe cria o mundo imaginário de “Quidam”, povoado de personagens que a levam a libertar o espírito, dos seus antigos fantasmas.

Um elenco internacional de 45 acrobatas de classe mundial, oriundos de 19 países.