Última hora

Última hora

Adeus a Miss assassinada junta venezuelanos contra a violência

Em leitura:

Adeus a Miss assassinada junta venezuelanos contra a violência

Tamanho do texto Aa Aa

O assassinato da modelo e atriz Mónica Spear continua a centrar atenções na Venezuela, onde milhares de pessoas têm aproveitado o caso para protestar contra o governo do presidente Nicolás Maduro pela insegurança que continua a fazer do país um dos mais perigosos do Mundo. O corpo da miss Venezuela 2004, assassinada no início da semana ao lado do marido numa autoestrada no centro do país, esteve na quinta-feira em câmara ardente.

Muitos foram os que quiseram despedir-se da modelo e atriz. Amigos, fãs e figuras públicas da Venezuela formaram longas filas de espera para um derradeiro vislumbre ao corpo e uma última mensagem à atriz.

O conhecido pintor e comediante venezuelano Rolando Salazar foi um dos que esteve presente e aproveitou para sublinhar a insegurança que demarca a Venezuela: “Lamento muito que o caso dela seja agora a cara dos milhares de assassinatos que estão a acontecer neste mesmo momento por todo o país.”

Yuli Ramirez, uma fã de Mónica Spear, disse ser “lamentável a perda de uma atriz e de uma boa pessoa”. “Ela era muito querida no nosso país. É triste o que estamos a sentir na Venezuela porque estamos rodeados de muita insegurança”, reforçou.

A Venezuela é considerado um dos países mais perigosos do mundo. Dados oficiais do governo de Caracas indicam que 39 em cada 100 mil pessoas foram assassinadas só em 2013 no país. Uma Organização Não Governamental, a Observatório Venezuelano da Violência, garante que os assassinatos foram, sim, à proporção de 70 por cada 100 mil pessoas.

Mónica Spear tinha 29 anos, estava de férias na Venezuela, onde visitava várias regiões. Na segunda-feira, o carro em que a miss Venezuela 2004 seguia com o marido, o irlandês Henry Thomas Berry, de 39, e a filha de cinco anos, Maya, teve um acidente e, quando estavam a ser ajudados por um reboque, foram alvo de uma alegada emboscada. Trancaram-se no próprio carro e aí foram baleados. O casal morreu no local, mas a filha sobreviveu com apenas um ferimento de bala numa perna.

O funeral de Mónica Spear e Thomas Berry decorreu esta sexta-feira, em Caracas.