Última hora

Última hora

Primeiras propostas concretas para o conflito sírio

Em leitura:

Primeiras propostas concretas para o conflito sírio

Tamanho do texto Aa Aa

Parecem ser as primeiras propostas concretas que Damasco poderá aceitar, para pôr fim ao conflito na Síria.

Em Paris, um dia depois da reunião dos “Amigos da Síria”, os chefes da diplomacia americana e russa e o representante da Liga Árabe e da ONU falam de corredores humanitários, troca de prisioneiros e de um eventual cessar-fogo, a instaurar antes da conferência Genebra II, agendada para o próximo dia 22.

“Hoje falámos da possibilidade de encorajar um cessar-fogo”, afirmou John Kerry. O secretário de Estado norte-americano continuou: “Eventualmente, um cessar-fogo localizado, a começar por Alepo. Nós, Estados Unidos e Rússia, concordámos trabalhar em conjunto para ver se tal é possível. Se o regime de Assad estiver disposto a declarar o cessar-fogo, a oposição já fez saber que o respeitará.”

A Rússia estima que Bashar Al-Assad poderia igualmente aceitar a abertura de corredores humanitários, para ajudar a população civil em zonas como a Ghuta Oriental, na periferia de Damasco.

“Estamos a trabalhar no sentido de alargar o acesso humanitário a áreas atualmente bloqueadas pelo governo e pela oposição. Neste assunto, nós e os nossos parceiros americanos estamos de acordo para agir em paralelo”, garantiu Sergei Lavrov. O ministro russo dos Negócios Estrangeiros foi mesmo mais longe e afirmou: “O governo [de Damasco] anunciou estar pronto a enviar ajuda humanitária rapidamente.”

Uma eventual troca de prisioneiros foi igualmente debatida, nesta reunião tripartida, onde, pela primeira vez, os Estados Unidos se disseram dispostos a aceitar a reivindicação russa de sentar o Irão à mesa das negociações, concretamente na conferência Genebra II.