Última hora

Em leitura:

Canguru português pode reescrever história da Austrália


mundo

Canguru português pode reescrever história da Austrália

Terão os portugueses descoberto a Austrália? Um manuscrito português, adquirido pela galeria “Les Enluminures”, em Nova Iorque, mostra o que aparenta ser um canguru na iluminura da obra escrita à mão. Um pequeno detalhe que pode vir a mudar a história da Austrália e adicionar este continente à lista dos descobrimentos portugueses.

Assinado por Caterina de Carvalho, uma freira das Caldas da Rainha, o manuscrito de música para cerimónias eclesiásticas foi escrito em latim e português e, dizem os especialistas, é completamente medieval em formato e texto.

Até hoje, pensava-se que teria sido o navegador holandês Willem Janszoon a descobrir a Austrália. Mas alguns especialistas acreditam que o documento, que data de 1580 a 1620, já circulava pelo mundo na altura em que os holandeses desembarcaram na terra dos cangurus em 1606. O aparecimento deste manuscrito faz agora tremer as certezas de alguns historiadores e alimentar a crença de outros, de que Portugal descobriu a Austrália.

Para a investigadora Laura Light da Les Enluminures, a descoberta deste animal num manuscrito tão antigo prova que a artista esteve na Austrália ou, então, que relatórios de viagem ao continente e desenhos de cangurus já se encontravam em Portugal.

Esta hipótese não é de todo uma surpresa. O historiador australiano Peter Tricktett, citado pelo jornal australiano The Sidney Morning Herald, já suspeitava, há muito, que os portugueses foram os autores da primeira expedição marítima a mapear a costa australiana, em 1521-22.

Há, no entanto, quem se mantenha mais cético. Martin Woods, da Biblioteca Nacional Australiana, afirma que o manuscrito não invalida a história como a conhecemos, e que o animal retratado pode ser outra espécie, semelhante ao canguru, oriunda do sudeste asiático.

Também John Gascoigne, da Academia Australiana de Humanidades, refere que provar que os portugueses foram os primeiros a chegar à Austrália não será tarefa fácil. O secretismo que envolve os descobrimentos portugueses e o facto de muitos documentos históricos importantes se terem perdido no terramoto de 1755 em Lisboa, dificulta a comprovação. Além disso, não está excluída a hipótese de o manuscrito ser posterior à chegada dos holandeses.

Gascoigne coloca ainda a hipótese de o animal vir de outra terra com clima e ecologia semelhantes, nomeadamente das expedições marítimas de Jorge de Menezes à metade oriental da ilha da Nova Guiné, em 1526.

As hipóteses são várias e fazem oscilar a certeza de que terão sido os holandeses os primeiros a descobrir a Austrália. Uma incógnita que, para já, fica sem resolução.

O manuscrito vai estar em exposição na galeria “Les Enluminures” de 24 de janeiro a 21 de fevereiro.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Coreia do Norte: Novas tecnologias ajudam a promover estância de esqui