Última hora

Última hora

Oficiais do nuclear americano fizeram fraude nos exames

Em leitura:

Oficiais do nuclear americano fizeram fraude nos exames

Tamanho do texto Aa Aa

Fazer batota nos exames é algo associado, normalmente, às crianças ou adolescentes. Mas, desta vez, a acusação recai sobre oficiais das forças armadas americanas e não são oficiais quaisquer: São os responsáveis pelos mísseis nucleares transcontinentais. Aqueles que tratam da manutenção e, no caso de uma guerra nuclear, de lançar os mísseis.

Um total de 34 oficiais da base de Malmstrom, no Montana, foram suspensos por fraude em exames de rotina, destinados a avaliar as competências. A secretária de Estado da Força Aérea, Deborah Lee James, é dura: “É um comportamento inaceitável, contrário aos valores da Força Aérea. O mais importante desses valores é a integridade”.

Já o diretor de recursos humanos da Força Aérea, o general Mark Welsh, tenta deitar água para a fervura: “É difícil esconder incompetência fazendo batota uma vez nos exames. Todos os meses fazem um teste com um simulador, com instrutores que estão a ver o que fazem e aí é impossível esconder o que quer que seja. Por isso, trata-se apenas de querer conseguir um resultado melhor. Posso especular sobre muita coisa, mas não acredito que se trate de incompetência”.

A fraude foi descoberta durante a investigação a outro caso que abalou esta mesma base aérea – o da posse de drogas por parte de alguns oficiais. Alguns estão implicados nos dois casos.

Esta é uma de três bases aéreas nos Estados Unidos responsáveis pelos mísseis nucleares transcontinentais.