Última hora

Última hora

Banda feminina faz sucesso no Reino Unido

Em leitura:

Banda feminina faz sucesso no Reino Unido

Banda feminina faz sucesso no Reino Unido
Tamanho do texto Aa Aa

Com um single, os adolescentes do Reino Unido fizeram uma descoberta – uma girls band formada há um ano.

A estreia foi o single “Trouble”, lançado em Setembro. Uma semana depois, entrou nos tops do Reino Unido e da Escócia.

O clip de promoção tem mais de dois milhões de espectadores no Youtube e a banda foi convidada para se apresentar, em Novembro, no Victoria’s Secret, em Nova York, um show anual que deu um enorme impulso à sua carreira.

Jess Plummer, uma das cantoras, acredita que o sucesso será ainda maior, no futuro:

“Alcançou apenas a altitude cruzeiro. Acho que chegou a número 30 no Canadá, e a número 60, na América. Considerando que nem sequer foi promovido por lá, é incrível, para nós. Também tivemos reuniões, quando lá estivemos, com empresas gravadoras. Nunca se sabe, mas poderemos estar a voar no estrangeiro, em breve”.

“Braveheart” é o segundo single das Neon Jungle. Elas querem dar a cada canção um toque único, com um sabor diferente, energia e atitude. “Braveheart” é certamente uma música feita para fazer as pessoas dançar, como reconhece Amira McCarthy:

“É apenas uma canção para as pessoas se deixarem ir. Não se pode levar demasiado a sério. É música para dançar. Definitivamente. Quando ouvimos isto, é como uma das músicas que tenho no meu telefone, normal. Se não for isto, ficamos down”.

Jess Plummer completa:

“É também uma canção muito positiva. Fala apenas de felicidade, para fazer desfrutar e ter um bom momento”.

Têm idades compreendidas entre os17 e 21 anos. São de diferentes partes do Reino Unido. Ana Tereza é da Escócia, Amira e Jess de Londres e Asami de Suffolk, mas nascida no Japão.

Vivem todas juntas, numa casa, em Londres. Estão decididas a lutar pelo sucesso.

Ana Tereza Cutkelvin reconhece que têm espírito competitivo:

“Nós somos pessoas competitivas, como qualquer desportista, músico ou qualquer outra coisa. Como eu, ou você. Somos perfeccionistas. Quando não estamos contentes, tentamos fazer melhor. Nós somos a nossa própria competição”.

Mas sem agressividade, como ressalva Jess Plummer:

“Competitividade amistosa. Não é agressiva’”

O quarteto britânico de raparigas prepara agora o lançamento do primeiro álbum, ainda este ano.

Mais sobre le mag