Última hora

Última hora

Putin diz que "gays" não serão perseguidos mas "deixem as crianças em paz"

Em leitura:

Putin diz que "gays" não serão perseguidos mas "deixem as crianças em paz"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente russo fez esta sexta-feira novas declarações polémicas sobre os homossexuais.

Num encontro com voluntários que vão trabalhar nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sotchi, Vladimir Putin disse que os “gays” e lésbicas não vão ser perseguidos durante o evento, mas reforçou o apoio ao controverso veto à divulgação de “propaganda homossexual” junto de crianças.

Questionado sobre as cores escolhidas para os uniformes dos voluntários, geralmente associadas aos movimentos de defesa dos direitos dos homossexuais, Putin fez questão de responder que não foi ele que “concebeu a indumentária”:

“Ninguém é banido, nem está a ser detido. Esse tipo de relações não serão punidas, ao contrário de outros países. Por isso, podem ficar descansados, mas deixem as crianças em paz”.

A Rússia atraiu, já no ano passado, as críticas do Ocidente e de ativistas dos Direitos Humanos ao banir o que classificou de “promoção da homossexualidade entre os menores”.

Os opositores denunciam uma lei discriminatória, que se vem inscrever no rol de retrocessos em termos de direitos e liberdades democráticas desde que Putin reassumiu a presidência, em 2012.

Numa clara mensagem ao Kremlin, Barack Obama incluiu três atletas que assumiram publicamente a homossexualidade na delegação olímpica norte-americana.