Última hora

Última hora

FMI: Economia acelera, mas deflação é uma ameaça

Em leitura:

FMI: Economia acelera, mas deflação é uma ameaça

Tamanho do texto Aa Aa

A economia mundial acelera. Tal como tinha anunciado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reviu em alta as suas previsões. O que não acontecia há dois anos.

A nova previsão evoca um crescimento de 3,7% este ano, ou seja, uma décima mais do que o avançado em outubro. E a aceleração deverá ganhar força no próximo ano, com um crescimento de 3,9%, graças às economias desenvolvidas.

Para os Estados Unidos, o FMI subiu a previsão para 2,8% este ano, mas baixou para 3% a estimativa de 2015. Já na zona euro, vira-se a página da recessão. Espera-se este ano um crescimento de 1% e de 1,4% no próximo.

Mas, o FMI aconselha o Banco Central Europeu a ponderar mais estímulos para ajudar a economia, já que a aceleração económica não significa o fim dos problemas.

Na Europa, a diferença é evidente entre países.

O Reino Unido, graças às baixas taxas de juro e uma melhoria de confiança, a economia deverá crescer 2,4% este ano, uma subida de seis décimas em relação a outubro.

A Alemanha também acelera duas décimas para 1,6% em 2014. O ano será melhor também para Espanha. Já no caso de França mantém-se as previsões de outubro e para a Itália baixam.

A organização continua preocupada com o sul da Europa, cujo crescimento vai manter-se modesto, e com a baixa inflação que afeta, sobretudo, a zona euro.

Para a organização, o risco de deflação ameaça aumentar o peso da dívida e desencorajar o consumo privado, que tarda a recuperar devido ao elevado desemprego.

Infographic: www.imf.org