Última hora

Última hora

Cinco manifestantes mortos em Kiev

Em leitura:

Cinco manifestantes mortos em Kiev

Tamanho do texto Aa Aa

As ruas de Kiev estiveram hoje cobertas de fumo de pneus queimados por manifestantes e gás lacrimogéneo lançado pelas forças anti-motim para dispersar os protestos.

Polícia de choque ucraniana, apoiada por blindados, retomou na tarde desta quarta-feira uma parte do centro de Kiev, depois de batalhas ferozes com os manifestantes que custou a vida a várias pessoas. Duas foram abatidas por bala. Mas desde domingo eleva-se já a cinco o número de mortos e 300 os feridos.

Manifestantes atiraram coquetéis molotov e pedras contra a polícia, e muitas pessoas isoladas ou caídas foram espancadas impiedosamente.

O presidente, Viktor Yanukovych, e membros do grupo de trabalho criado para tentar encontrar uma solução para a crise política reuniram-se com os líderes dos principais partidos de oposição.

A reunião contou com a presença do líder do partido “Udar” (greve), Vitali Klitschko, o do “Batkivschina”, Arseniy Yatseniuk, e ainda o Liberdade, Oleg Tiagnibok, pela oposição. As conversas, que foram o primeiro passo concreto para terminar dois meses de agitação, terminaram, cerca de três horas mais tarde sem qualquer solução.

A crise eclodiu em novembro passado altura em que o presidente abandonou um acordo comercial com a União Europeia em favor de um apoio financeiro da Rússia para ajudar a pagar a dívida pública ucraniana.

Cinquenta pessoas foram detidas nas últimas horas e 29 deles foram oficialmente acusadas de tomar parte na agitação. Um total de 167 polícias foram feridos.