Última hora

Última hora

Síria: Uma criança salva, 130 mil mortos

Em leitura:

Síria: Uma criança salva, 130 mil mortos

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto à mesa das grandes potências, em Genebra, se tenta negociar a paz, ou pelo menos uma trégua, na Síria, o caudal de sangue não pára de engrossar.

No meio do horror, os rebeldes divulgaram um vídeo de uma criança a ser resgatada dos escombros, alegadamente após um bombardeamento do regime contra a cidade de Aleppo.

“Alá é grande”, clamam os insurgentes islamitas a cada explosão. Os nomes dos que vão caindo todos os dias perdem-se na lista dos mortos, mais de 130 mil em menos de três anos de uma guerra que já começou a alastrar aos instáveis países vizinhos.

No terreno, há cada vez mais grupos rebeldes com ligações terroristas, o que complica – e muito – o apoio que o Ocidente quer dar à oposição a Bashar al-Assad. A fragmentação e as divisões são tais, entre os insurgentes, que o líder da Al-Qaida apelou aos grupos rebeldes para pararem de lutar entre si. Num registo áudio, Ayman al-Zawahri sugere a formação de uma comissão para decidir sobre as disputas territoriais sem derrame de sangue.