Última hora

Última hora

Ucrânia a viver em cima de um barril de pólvora.

Em leitura:

Ucrânia a viver em cima de um barril de pólvora.

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Ucrânia deu mais um passo que a oposição achou insuficiente para um acordo que ponha fim a semanas de instabilidade e violência.

Viktor Ianukovitch ofereceu a liderança do Governo aos dois partidos que têm estado na frente da contestação.

Mas a proposta foi considerada insuficiente. Eles querem eleições presidenciais, em 2014. Sem isso, não há acordo:

“O que aconteceu hoje foi que Viktor Ianukovitch reconheceu que o governo não está pronto para assumir responsabilidades perante o país e disponibilizou-se para a oposição liderar o governo. Qual foi a nossa resposta? Estamos com medo da responsabilidade? Não estamos com medo da responsabilidade, mas tememos o destino da Ucrânia”, disse Arseniy Yatsenyuk.

Arseniy Yatsenyuk, convidado para Primeiro-Ministro, a jogar forte. Ele quer tirar Ianukovitch da presidência do país.

A contestação continuou, com a Praça da Independência repleta de uma multidão que espera outras novidades.

Vitaly Klitschko tranquilizou os seus apoiantes e garantiu que este processo de negociações não é um recuo da oposição:

“A nossa exigência é a realização de eleições presidenciais já este ano. Não estamos a recuar. Mantemos as nossas posições, aqui e nas regiões”, afirmou.

A União Europeia está a tentar mediar o conflito e é possível que o Presidente, Viktor Ianukovitch continue a reunir-se com os líderes da oposição.

Está em Kiev? Envie comentários, fotos e vídeos a testemunhar para: witness[at]euronews.com