Última hora

Última hora

Cerco a Leninegrado terminou há 70 anos

Em leitura:

Cerco a Leninegrado terminou há 70 anos

Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia comemora os 70 anos da quebra do cerco a Leninegrado. Foi a 27 de janeiro de 1944 que o Exército Vermelho conseguiu entrar na cidade e romper o cerco imposto pelos nazis, que durou quase 900 dias – foi uma das páginas mais negras da II Guerra Mundial.

Pensa-se que tenham morrido pelo menos 750.000 civis, sobretudo mulheres e crianças, ao frio e à fome, durante o cerco. Este foi um episódio decisivo para a vitória dos Aliados contra a Alemanha nazi.

O presidente Vladimir Putin, originário da cidade agora chamada São Petersburgo, não conteve a emoção. Os pais sobreviveram ao cerco e um dos irmãos mais velhos morreu.

Os sobreviventes contam o que se passou “Lembro-me de ver os soldados a marchar. As pessoas beijavam-nos. Eles estavam sujos e despenteados. Nós éramos crianças e ficávamos juntos da nossa mãe a ver”, conta uma mulher que assistia às cerimónias.

Outra sobrevivente testemunha: “Depois de acabar o cerco, eu e a minha mãe dançávamos todos os dias na Praça do Palácio. A minha mãe até perdeu o salto de um sapato”.

O cerco começou com os bombardeamentos de 8 de setembro de 1941, que cortaram a última estrada que ligava à cidade, e só acabou em janeiro de 1944.

Enquanto a maioria dos homens combatia na guerra, os habitantes, sobretudo mulheres, crianças e idosos ficaram sem qualquer comida ou medicamentos vindos do exterior. O inverno de 1941-1942 foi o mais duro. Muitos foram obrigados a comer pão com serradura e carne humana para poderem sobreviver.

Para comemorar a data, foi inaugurada uma exposição a três dimensões que reconstitui a batalha pela libertação de Leninegrado.