Última hora

Última hora

França: Populistas propagam ódio no seu "dia de cólera"

Em leitura:

França: Populistas propagam ódio no seu "dia de cólera"

Tamanho do texto Aa Aa

“Demissão” foi a grande palavra de ordem dos milhares de manifestantes que se concentraram em Paris, este domingo, nomeadamente para exigir que o presidente francês abdique do cargo.

Convocado pela enigmática associação “dia de cólera”, o protesto reuniu um grupo heterogéneo formado por movimentos de ultra conservadores, católicos integristas, apoiantes do polémico humorista Dieudonné ou simples críticos da política de François Hollande.

Uns disseram estar “fartos” da “incompetência” do presidente, outros denunciaram os “impostos que são criados por todo lado”. Não faltou quem esteja “saturado com todas as leis” que “destroem a família”, uma referência às alterações ao diploma do aborto, ao chamado “casamento para todos” e à adoção por casais do mesmo sexo.

Segundo a polícia, cerca de 17 mil pessoas desfilaram à chuva entre a Bastilha e a Praça dos Inválidos. A organização exagerou – e muito – ao falar em 120 mil manifestantes.

Visível foi o ódio que lavra em certos setores da sociedade francesa.