Última hora

Última hora

Egito: A fúria de Morsi no tribunal

Em leitura:

Egito: A fúria de Morsi no tribunal

Tamanho do texto Aa Aa

“Quem és tu? Sabes quem eu sou? Sou o presidente legítimo do Egito”, vociferou Mohamed Morsi, como uma fera enjaulada, na primeira sessão do processo relativo a sua fuga da prisão em 2011.

Mohamed Badie, o guia supremo da Irmandade Muçulmana, responde no mesmo processo que conta com mais de 100 acusados, a maioria julgada à revelia pela fuga da prisão a 25 de janeiro de 2011, nos primeiros dias da revolução que derrubou 30 anos de ditadura de Hosni Mubarak.

A audiência foi suspensa ao início da tarde e o julgamento deverá prosseguir a 22 de fevereiro. Morsi regressou ao cárcere de helicóptero.

A vaga de atentados no Egito fez mais dois mortos esta terça-feira. Uma das vítimas foi o general Mohamed Said que dirigia o departamento técnico do ministério do Interior.

“Na cela dos acusados, Morsi recusou reconhecer legitimidade ao tribunal e aos que o presidem. Surpreendente, foi a total ausência dos seus apoiantes à porta do tribunal, algo que muitos dizem, ficou a dever-se à forte presença policial em torno das instalações”, relata o correspondente da euronews..