Última hora

Última hora

Arquitetura e sentidos numa exposição em Londres

Em leitura:

Arquitetura e sentidos numa exposição em Londres

Tamanho do texto Aa Aa

Mostrar a arquitetura como arte é o desafio da Royal Academy of Arts de Londres, que apresenta uma exposição de sete arquitetos.

A instalação de Diebedo Francis Kere, da Alemanha e Burkina-Faso, é uma das obras que podem ser vistas. Cada arquiteto foi convidado a criar obras para este espaço: “Quisemos trazer a experiência e o poder da arquitetura para as galerias. Queremos convidar as pessoas a explorar a arquitetura de forma física, através dos sentidos, para que tenham uma experiência direta do que é estar num espaço”, diz Kate Goodwin, comissária da exposição.

Noutra parte da exposição, os visitantes são convidados a perder-se numa instalação do chinês Li Xiaodong. Kate Goodwin conta-nos como as experiências são diferentes: “Algumas instalações são muito imersivas, entramos num outro mundo, em que as galerias que estão atrás de nós desaparecem por completo. Outras são estruturas em que andamos à volta, observamos e sentimos. Outra joga com o cheiro, quase que o sentimos, fisicamente. Outra leva-nos até às galerias que nunca chegamos a ver, até ao teto que está por cima de nós”.

Levar os visitantes ao teto é o objetivo da instalação dos chilenos Mauricio Pezo e Sofia von Ellrichshausen. Através de uma estrutura de madeira, os visitantes sobem ao topo e percorrem depois os tetos e paredes, ficando com uma perspetiva única do local.

A exposição “Sensing Spaces” está aberta na Royal Academy of Arts até ao dia 6 de abril.