Última hora

Última hora

O satélite Rosetta já acordou

Em leitura:

O satélite Rosetta já acordou

Tamanho do texto Aa Aa

Este ano, um satélite chamado Rosetta vai fazer algo nunca visto. Vai alcançar um cometa, voar ao seu lado lado e colocar uma sonda à superfície. Há alguns dias, a sonda acordou depois de dois anos e meio de hibernação.

Os olhos do mundo estavam postos na equipa do Rosetta. Nalgum lugar no espaço e a oitocentos milhões de quilómetros de distância, o satélite acordava.
O sinal devia ter chegado logo depois das 6 e meia da tarde. Quarenta e cinco minutos mais tarde, a espera terminou. Para Andrea Accomazzo da ESA: “Tê-lo de volta é incrível, agora temos uma das aventuras mais fantásticas à nossa frente, uma das missões espaciais mais difíceis de sempre.”

Havia 90 jornalistas no centro de operações da Agência Espacial Europeia, com uma série de de câmeras e de perguntas. A natureza da missão é audaciosa. O Rosetta vai alcançar um cometa e passar um ano a voar ao seu lado aumentando a velocidade até ao interior do sistema solar. Uma missão tão complexa exige a atenção constante dos engenheiros de operações desta equipa, que trabalha 24 horas por dia, sete dias por semana para pilotar Rosetta. Têm uma ferramenta única, uma cópia perfeita da nave espacial para que possam realizar testes e simulações.

É um enorme desafio. O Rosetta não vai voar no espaço vazio, vai andar à volta de uma bola imprevisível de poeira e de gelo do tamanho do Mont Blanc. A missão vai testar a equipa técnica até o limite e aumentar o nosso conhecimento científico. Vamos seguir esta viagem extraordinária do Rosetta durante todo o ano na Euronews, desde a primeira imagem do cometa até ao momento em que a sonda perfura a superfície. Vivendo esta viagem de descoberta com os engenheiros e os cientistas que tornam esta missão uma realidade.