Última hora

Última hora

Países do Visegrado alarmados com a situação na Ucrânia

Em leitura:

Países do Visegrado alarmados com a situação na Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Os primeiros-ministros dos países do Visegrado, que englobam a República Checa, Hungria, Polónia e Eslováquia, reuniram-se, esta quarta-feira, em Budapeste, numa cimeira extraordinária, para discutirem a situação na Ucrânia.

Os governantes alertaram para a possibilidade das circunstâncias na Ucrânia piorarem e de ser necessária a intervenção da União Europeia na resolução da crise.

“A Europa, enquanto comunidade, tem de ajudar a Ucrânia, tanto o governo como a oposição, a encontrar um consenso, de modo a conseguir resolver o conflito e ultrapassar este cenário dramático”, adverte o primeiro-ministro polaco, Donald Tusk.

O congénere húngaro, Viktor Orbán, informa que é necessário preparar-se para o pior: “Pedi ao ministro dos assuntos internos para criar uma unidade operacional especial e para preparar o país caso as coisas na Ucrânia não enveredem pelo melhor caminho,” conclui.

É muito importante, para todos os países do Visegrado, o que está a acontecer na Ucrânia. Exemplo disso é a presença do primeiro-ministro checo, aqui, poucas horas após ter prestado juramento, para consultar os congéneres, sobre a atual situação.